Archive for November 29, 2014

O meu Android tem vírus?

Há muito que os vírus deixaram de ser um problema exclusivo dos PC’s. Os smartphones, sendo “mini-computadores”, estão também sujeitos a serem vítimas do malware, sendo que os sistemas Android são os maiores alvos dos hackers.

Só em 2013, a Kaspersky Lab encontrou 143.211 novas modificações de vírus para dispositivos móveis, 98,05% das quais destinadas a atacar smartphones e tablets equipados com o sistema da Google.

Virus Android

Assim sendo, a Kaspersky elaborou uma lista de conselhos para poder identificar se o seu equipamento está infectado, ou não.

Sintomas

1 – Apresentação de publicidade indesejada, nomeadamente através de popups, ou do redireccionamento automático para outras páginas e sites.

2 – Aumento do consumo de dados da rede móvel, sem motivo aparente. De facto, vários tipos de software malicioso, ligam-se à Internet e chegam a efectuar downloads sem que o utilizador se aperceba.

3 – Envio de SMS de forma “automática” para números de valor acrescentado.

4 – Instalação de apps sem o conhecimento do utilizador.

5 – Pedidos de permissão descontextualizados dos programas recentemente instalados. Exemplo: ao instalar um jogo, recebe um pedido para instalar também outra app que não está relacionada com o jogo.

6 – Controle todas as suas contas em serviços online, por exemplo, redes sociais. De certeza já recebeu mensagens, ou viu publicações “estranhas”, partilhadas pelos seus amigos e sobre as quais, os mesmos pediram desculpa, dizendo que não tinham sido eles a partilhar esses conteúdos. Tudo isso é gerado por vírus.

7 – Um programa solicitar um resgate em dinheiro para desbloquear o acesso ao dispositivo. Nesse caso, garantidamente, o mesmo está infectado com um dos tipos de vmalware, mais perigosos e incómodos.

Como se defender:

1 – Não fazer jailbreak.

2 – Configure um pin ou password para desbloqueio do ecrã

3 – Faça download de apps cuja origem seja de confiança, de preferência da loja oficial.

4 – Não utilizar Wi-Fi público para efectuar transacções.

5 – Prestar bem atenção aos pedidos de permissão que lhe são feitos pelas aplicações.

6 – Armazene somente o essencial no seu aparelho

7 – Instale uma função de controle parental

Para além destes conselhos, a melhor forma de se proteger é utilizar uma solução anti-vírus de confiança, paga e com provas dadas no mercado.

Em caso de dúvida, ou para mais informações, contacte um serviço técnico especializado.

Vírus para iOS

Investigadores da Palo Alto Networks divulgaram num recente relatório a descoberta de um vírus para iOS chamado Wirelurker.

WireLurker-Malware

De acordo com o relatório apresentado, este malware, já terá afectado centenas de milhares de utilizadores, continuando a espalhar-se através de aplicativos para OS X, vendidos numa app store chinesa independente.

Após infectar o computador, o Wirelurker passa para os dispositivos iOS assim que eles sejam sincronizados com o PC através da porta USB.

O vírus instala uma aplicação de histórias aos quadradinhos, aparentemente inofensiva mas, que no fundo, trata-se de um “cavalo de tróia” com o objectivo de, posteriormente roubar dados confidenciais ao utilizador do telefone.

Em aparelhos com jailbreak, o Wirelurker já consegue capturar informações de pagamentod e alguns sites de e-commerce e leilões.

Os especialistas consideram este vírus como a primeira grande ameaça para a segurança do iOS, sendo que o mesmo encontra-se ainda em desenvolvimento, não se conhecendo qual o objectivo final dos seus criadores.

Se possui um dispositivo com iOS, recomendamos que evitar descarregar aplicações de app stores não oficiais usar carregadores USB de origem desconhecida.

Em caso de dúvidas, saiba que podemos esclarecê-lo na MisterPC: a nossa equipa está preparada para todo o tipo de avarias em iPhones e iPad.

Office para iPad, iPhone e Android, agora gratuito!

A Microsoft está a dar importantes passos na sua abordagem a dispositivos móveis. O mais recente foi o anúncio de que o Office para iPad, iPhone e Android passa a ser gratuito.

Office iPad iPhone Android

Motivada pelo poder da concorrência, a gigante norte-americana está determinada em marcar pontos no segmento móvel, disponibilizando gratuitamente o Office para plataformas móveis, abrangendo todos os utilizadores, mesmo os que não têm subscrição Office 365.

Apesar de já estarem disponíveis as novas versões do Word, Excel e PowerPoint para dispositivos Apple, os utilizadores de Android ainda terão que aguardar mais uns dias.

Caso tenha dúvidas ou necessite de ajuda, contacte um técnico especializado.

Os benefícios da cloud

Nos últimos tempos a palavra cloud (nuvem) enraizou-se no léxico das tecnologias da informação. Mesmo quem nunca a utilizou já ouviu falar nela, quanto mais não seja devido aos casos de violação de privacidade que envolveram algumas celebridades.

Armazenamento na Cloud

Mas o que é, de facto, a cloud, para que serve, quais os seus benefícios?

Comecemos pelo princípio.

Com a “explosão” dos dispositivos móveis (smartphones e tablets), os utilizadores foram sentindo cada vez mais a necessidade de aceder à mesma informação a partir de equipamentos diferentes, em locais diferentes, facilitando a sua edição e partilha com outros utilizadores.

Com sistemas de acesso à Internet cada vez mais rápidos e com maiores capacidades de carga, combinados com a expansão dos acessos wi-fi, surgiu assim uma nova forma de armazenamento, assente em servidores online, que permitem que documentos, fotos e outros ficheiros possam ser acedidos a partir de qualquer lugar e de qualquer plataforma.

Ou seja, os ficheiros deixam de estar guardados nos suportes de armazenamento tradicionais (disco rígido, pen, CD, disco externo,…) para passarem a estar na nuvem.

Imaginemos um estudante que termina um trabalho em cima da hora e sai de casa a correr, esquecendo-se da pen necessária para a sua apresentação na aula; ou um executivo que não pode concluir aquele relatório tão importante, porque se esqueceu de o enviar do escritório para casa. Estas situações são evitadas com a computação em nuvem. A informação está permanentemente acessível, editável e partilhável.

No fundo, é como se trabalhasse sempre no mesmo local, no mesmo dispositivo.

Esta tecnologia não se limita ao armazenamento, permitindo também que várias pessoas trabalhem simultaneamente num mesmo documento.

Outra grande vantagem da nuvem é poder ser utilizada como meio de backup (cópia de segurança) do conteúdo dos seus suportes de armazenamento. No caso de alguma avaria inesperada, terá sempre os ficheiros disponíveis.

No entanto, como alguns casos mediáticos têm vindo a demonstrar, a cloud deve ser usada com algumas cautelas. De facto, a transmissão de dados entre o dispositivo de acesso e a nuvem faz-se através de sincronização, devendo o utilizador selecionar qual a informação que pretende sincronizar, certificando-se que só passa para a cloud o que realmente é necessário, evitando carregar informação confidencial ou privada. Será importante também garantir que o dispositivo dispõe de recursos de segurança, como dados criptografados, passwords seguras e uma solução anti-vírus paga e actualizada.

Para saber mais sobre backups ou a segurança da sua informação, contacte um serviço de assistência especializado.

Sistemas Android continuam a ser alvo de ataques

O recente relatório conjunto da Kaspersky – especialista em segurança informática – e da Interpol, refere que mais de meio milhão de utilizadores de Android em todo o Mundo, foram vítimas de ataques de malware financeiro, entre os meses de Agosto de 2013 e Julho de 2014, o que representa um aumento de seis vezes face ao período homólogo. O objectivo, na grande maioria dos casos (cerca de 60%), era roubar o dinheiro dos utilizadores.

O que é o Spyware?

Em termos absolutos estes dados representam 588 mil utilizadores de Android que viram os seus dispositivos invadidos por software malicioso.

57,08% dos incidentes reportados estavam relacionados com programas de Trojans-SMS, desenhados para o envio de mensagens para números de valor acrescentado, sem o conhecimento dos utilizadores.

2% dos ataques combinavam estes Trojan-SMS com um Trojan-Bancário, capaz de aceder e guardar dados de cartões bancários e dados de acesso a serviços de home banking.

Apesar de o número de ataques registados envolvendo Trojans de “banca móvel” ser relativamente reduzido, os analistas da Kaspersky alertam que o total de variantes de malware móvel tem vindo a crescer de forma considerável, cerca de 14 vezes ao ano.

Por outro lado, os especialistas têm vindo a constatar que o malware móvel tem-se tornado cada vez mais complexo e suficientemente inteligente para atingir entidades específicas. Com o número de smartphones em circulação a crescer exponencialmente, é natural o interesse que estes dispositivos despertam nos cibercriminosos, surgindo cada vez mais variações e mutações dos softwares iniciais, como forma de escapar aos sistemas de segurança.

Proteja o seu smartphone e os seus dados pessoais instalando uma solução antivírus paga.

 

 

Visit Us On Facebook