Archive for August 28, 2014

Como usar uma Pen USB para transferir ficheiros para o seu Tablet ou Smartphone

Já imaginou ou sentiu necessidade de ligar uma Pen USB ao seu smartphone ou tablet? Podemos arriscar dizer que sim… várias vezes.

Provavelmente não sabe, mas já existe essa solução no mercado. Um pequeno dispositivo que simplifica a transferência de ficheiros entre PCs e smartphones ou tablets Android.

Pen para smartphone e tablet

Ao primeiro olhar, a USM-SA1 da Sony assemelha-se a uma normal pen USB. Contudo, após levantarmos a pequena tampa deparamo-nos com uma conexão micro-USB que permite a ligação com dispositivos móveis de sistema operativo Android, usando uma app de gestão de ficheiros.

Esta pen 2 em 1 está disponível com 16GB e 32GB  de capacidade e em três cores diferentes. Os preços recomendados variam entre os 22€ e os 37€.

Android para PC

Chama-se Android x86, pretende ser um sistema operativo Android para PCs, com arquitectura x86 e está a despertar curiosidade em todo o lado.

Vamos conhecê-lo um pouco melhor.

Instalação

O processo de instalação é semelhante ao Ubuntu do Linux.

Aceda à página oficial do projecto, faça download do ficheiro ISO e grave-o num CD ou PEN.

Reinicie o computador com o CD ou PEN inseridos e verá um ecrã com várias opções, incluindo “Live CD” para utilizar o sistema operativo sem o instalar e “Installation” para instalar e configurar o Android x86 no PC.

Android x86

O ecrã de instalação é também ele semelhante ao do Linux. Pode criar diferentes partições no seu disco e continuar seguindo as instruções que surgem no ecrã.

Android x86

No passo seguinte, após a máquina reiniciar, entrará num ambiente mais “familiar”, caso já seja utilizador de Android no seu smartphone ou tablet. É o ecrã de configurações do Android e os passos iniciais são os mesmos. A única diferença é que irá utilizar o rato em vez dos toques no ecrã.

A partir daqui é quase tudo automático. O sistema detecta o hardware e realiza todas as configurações necessárias. No entanto, nem todos os componentes são reconhecidos, como por exemplo, os adaptadores Wi-fi dos ultrabooks. Esta dificuldade pode ser ultrapassada com a instalação de um adaptador Wi-Fi USB.

Há também casos registados de problemas na configuração de outros componentes. Cada caso é um caso e a opção “Live CD” apresenta-se como uma ferramenta importante para avaliar previamente como se irá comportar a sua máquina após a instalação.

Interface

O aspecto do x-86 é praticamente o mesmo de qualquer Android 4.4.

As aplicações de sistema funcionam normalmente, sendo a Play Store a principal fonte de apps, bastando aceder normalmente com a sua conta Google.

Contudo, deverá ter em atenção que as apps desenvolvidas apenas para smartphone (ex.: WhatsApp) não funcionam no X-86, dado que o mesmo é baseado na versão para tablets.

Comparação com Windows

Atendendo a que o x-86 ainda não é uma versão oficial e que ainda existem várias questões para resolver, é difícil estabelecer uma comparação com o Windows.

Apesar de algumas aplicações não funcionarem correctamente, por não estarem desenvolvidas para ecrãs grandes, outras correm muito bem como o Google Plus, Pinterest, Skype, Pocket, Gmail, etc.

Trabalhar com vários programas em simultâneo é bem diferente face ao Windows, dado que não é possível minimizar as aplicações e alternar entre eles com facilidade.

De facto, o Android não é um sistema multijanelas.

Por outro lado, uma vantagem face ao Windows é a barra de notificações que, com todos os seus recursos úteis, pode avisá-lo de uma nova mensagem no Facebook, a chegada de um novo email ou a previsão do tempo.

Usabilidade

Utilizar o Android com rato e teclado pode parecer-lhe estranho, mas é tão fácil como usar o Windows. Sente-se a falta dos botões minimizar, maximizar e fechar, mas rapidamente nos habituamos a ir com o rato aos botões de acção na parte inferior do ecrã.

Jogos

Se os seus jogos são aqueles em que basta clicar aqui e ali (ex.: Candy Crush) não terá problemas neste sistema operativo.

Contudo, jogar torna-se difícil em jogos mais complexos que exijam mais que um controlo. Se o seu computador tem ecrã touch screen, tudo funciona como no seu smartphone ou tablet Android.

Máquinas Híbridas

Já existem no mercado computadores capazes de correr o Android e o Windows, de forma nativa, nos quais basta tocar num botão para a troca entre sistemas operativos ser imediata.

Vale a pena?

Se é fã do Android, instalar o x86 no seu PC pode tornar-se uma experiência interessante. Contudo, a ausência das multijanelas pode dificultar-lhe a adaptação.

É certo que a Google já tem um sistema operativo x86 – o Chrome OS – mas esse sistema corre apenas aplicações web, não contando com a extensa variedade de apps para Android.

Como ponto a favor do x86 surgem a barra de notificações e a integração entre os programas. Outra vantagem para os fãs de apps é que deixa de ser necessário utilizar a versão web de serviços como Youtube, Twitter, Facebook ou Gmail.

Como é óbvio, o Android x86 não substituirá o Windows caso queira correr programas mais complexos como o Photoshop ou jogos elaborados.

O conselho que damos é manter o Windows na máquina e não usar o Android como único sistema operativo.

Para mais conselhos técnicos sobre o seu computador, ou tablet, contacte-nos!

Falsos Antivírus

Como já referimos por diversas vezes, é fundamental para a “saúde” de um computador dispor de um antivírus de qualidade e actualizado. Um PC sem antivírus fica exposto a ataques de vários tipos, que podem provocar danos na máquina, expor a sua privacidade e permitir que estranhos acedam a dados confidenciais, nomeadamente, cartões de crédito e contas bancárias.

E quando instalamos um antivírus gratuito que obtivemos na Internet e, logo a seguir, o sistema fica instável?

Falsos antivírus

Muito provavelmente estamos perante um falso antivírus (em inglês “rogue antivírus”), ou seja, um programa que se diz protector mas que, no fundo, é ele mesmo a ameaça.

Como funcionam?

Os falsos antivírus apresentam-se como ferramentas de protecção e remoção de malware, de modo a seduzirem o utilizador a instalá-los à vontade no computador. Contudo, depois de instalados, expõem o PC aos mais variados tipos de ameaças. O seu aspecto gráfico e a linguagem que utilizam são semelhantes a programas reais, o que lhes confere uma maior credibilidade perante os utilizadores mais incautos. Estes programas vão ainda mais longe, ao oferecerem supostas versões completas ou profissionais, em troca de dinheiro. Deste modo, convencem os utilizadores a digitar dados bancários em sites falsos, com todas as consequências que tal gesto acarreta.

Um caso específico é o Antivirus 2009, também classificado como “scareware” (software que assusta). Este falso antivírus criptografa os dados da pasta “Meus Documentos” e informa que há um vírus nela contido. A seguir apresenta a suposta ferramenta de remoção, que poderá ser obtida através de um download pago. Ironicamente, o programa que se assume como antivírus rapta os seus ficheiros e exige um resgate pelos mesmos (ver artigo sobre “Ransomware”).

Os perigos da Internet

Todos nós, ao entrar num site qualquer, já nos deparamos com mensagens informando que o nosso PC está infectado ou vulnerável. A mensagem tem todo o aspecto de ser credível, pois o interface gráfico da mesma é uma imitação do seu sistema operativo. No entanto, tais mensagens não passam de esquemas para lhe extorquir dinheiro.

Esta publicidade enganosa, normalmente, está associada a sites “duvidosos”, pornografia, pirataria, conteúdos gratuitos, desbloqueio de telemóveis, “cheats” para jogos, etc.

Como evitar

1 – Evite entrar em sites de procedência desconhecida. Se receber links via email, chat, skype, etc., pergunte ao remetente se a mensagem é fidedigna.

2 – Não clique em mensagens assustadoras. Empresas idóneas não utilizam esse tipo de comunicação. Quando tal acontecer, feche o navegador e não volte ao site que lhe exibiu a mensagem.

3 – Esteja atento aos pormenores. Estas falsas mensagens, por vezes, apresentam erros ortográficos ou uma formatação defeituosa.

4 – Os antivírus falsos costumam ter nomes genéricos, não relacionados com uma marca: “Antivirus 2009, XP Antivirus, MalwareAlarm, etc.

5 – Os antivírus falsos costumam apresentar erros de coerência entre as mensagens que exibem e os supostos exames que fazem ao seu PC. Por exemplo, ao analisar a pasta “C:\Programas” mostram mensagens de aviso de existência de vírus na pasta “C:\Windows”.

6 – Evite a pirataria. A tentação de obter gratuitamente um programa que pode custar umas centenas de euros é grande, mas depois sujeita-se aos “cracks” e “keygens” carregadinhos de malware.

7 – Use um verdadeiro antivírus pago. Desta forma tem a certeza que possui um software credível e eficaz.

 

Caso pretenda ajuda profissional, consulte a MisterPC para aconselhamento em relação à solução de antivírus para o seu computador.

Problemas no WiFi do iPhone ou iPad

Muitos utilizadores de iPhone e iPad apresentam queixas relativas às configurações de rede dos seus dispositivos, nomeadamente de erros que os impedem de se conectarem com redes sem fios. Esses erros produzem mensagens de “Wi-Fi não disponível” apesar de haverem redes no alcance dos aparelhos.

Se já passou, ou costuma passar, por situações deste género, siga as dicas abaixo que poderão ser úteis para recuperar a ligação à rede Wi-Fi.

Problemas Wi-Fi iPhone

1 – Certifique-se que possui a mais recente versão do iOS

Cada nova actualização do sistema operativo da Apple traz consigo melhorias face á versão anterior, nomeadamente resolução de bugs.

Se já utiliza a última versão do iOS, siga para o passo seguinte.

2 – Reiniciar

É algo básico, mas que deve ser testado antes de qualquer outra acção.

Se o problema persistir, siga para o passo seguinte.

3 – Reinicie as configurações de rede

Esta operação é uma forma de verificar se são essas configurações, ou não, que estão a causar o problema.

O processo vai corrigir qualquer falha na configuração, contudo terá que colocar novamente as passwords das redes sem fios que utiliza habitualmente, VPN ou outros recursos de rede.

Seleccione Definições\Geral\Repor\Repor as definições de rede.

4 – Restaure o seu dispositivo

Se nenhum dos passos acima deu resultado, é recomendável uma operação um pouco mais delicada. Ligue o iPhone ou iPad ao iTunes, siga as instruções no ecrã e faça um restauro.

Muita atenção: se não se sentir à vontade com este género de operações, recorra a um centro de assistência técnica. E mesmo que este seja um processo natural para si, não se esqueça de efectuar uma cópia de segurança previamente. Esse backup pode ser feito através do iTunes

5 – Visite um centro de assistência técnica

Se nenhuma das dicas anteriores funcionou, deve entregar o seu dispositivo a um técnico especializado. Na MisterPC reparamos qualquer tipo de avaria no seu iPhone ou iPad e com orçamento totalmente grátis.

Proteja os seus olhos do uso do computador

São cada vez mais as profissões que exigem que passemos horas e horas em frente ao ecrã do computador. Depois, chegamos a casa e utilizamos o PC para entretenimento.

proteger os olhos

Toda esta exposição pode ter um efeito nocivo para os nossos olhos.

Apesar de, actualmente, a grande maioria dos ecrãs dispor de tecnologia que reduz os malefícios na visão, há uma série de conselhos que pode seguir para que possa evitar problemas com os seus olhos:

1 – Descanse

A todas as pessoas que passam muitas horas em frente ao computador é recomendado que, de hora em hora, façam uma pequena pausa para repouso dos olhos, desviando o olhar para outro ponto, que não o monitor.

2 – Afaste-se

Enquanto utiliza o computador, mantenha-se a uma distância de 40 a 77 centímetros do ecrã.

3 – Alinhe-se

A inclinação do monitor também é um factor importante para a saúde dos seus olhos. O topo do ecrã deve estar um nível um pouco abaixo dos olhos.

4 – Limpe

Quanto mais limpo estiver o ecrã, menor será a necessidade de forçar a visão.

5 – Postura

Uma postura incorreta, para além de provocar problemas na coluna, também afecta os seus olhos. Combine os cuidados mencionados nos pontos 2 e 3 para que obtenha uma posição correcta da sua coluna.

6 – O tamanho conta

Uma boa forma de poupar os seus olhos é usar fontes grandes ao escrever e as funções de zoom das aplicações que utiliza.

7 – Iluminação

O ecrã do seu computador não é uma tela de cinema. O local onde trabalha deve estar bem iluminado. Evite os encandeamentos, quer pela luz natural, quer pela luz artificial.

8 – Brilho

Demasiado brilho no ecrã é prejudicial para a sua visão. Regule a intensidade do brilho e do contraste para níveis em que se sinta confortável a trabalhar.

9 – Ar condicionado

Aparelhos de ar condicionado ou ventiladores, demasiado perto dos olhos podem provocar irritação.

10 – Tecnologia

Prefira sempre ecrãs de alta definição (estão cada vez mais baratos), LCD e Full HD.

11 – Os dispositivos móveis

Se passou o dia agarrado a um computador, evite utilizar smartphones ou tablets à noite.

12 – Pisque os olhos

Isso evita que os olhos fiquem secos e irritados

13 – “Comer cenouras faz-te ficar com os olhos bonitos”

Muitos de nós ouvimos esta frase em criança. A verdade é que os legumes e as verduras contêm propriedades benéficas para todo o organismo… incluindo os olhos.

14 – Higiene

Evite coçar os olhos e limpe correctamente as suas lentes de contacto.

15 – Visite um oftalmologista

Mesmo que não sinta qualquer problema na sua visão é conveniente verificar o estado da sua visão.

 

Visit Us On Facebook