Archive for June 24, 2014

Como ligar o seu iPad a uma TV HD

É muito bom ver filmes ou séries no iPad ou no iPad mini. Mas é ainda melhor poder vê-los no seu televisor HD.

Ligar iPad à TV

Ao contrário da maioria dos tablets Android, o iPad não tem porta HDMI.

Felizmente existem no mercado os Adaptadores Apple Lightning para AV Digital que lhe permitem dispor de uma saída HDMI e carregar o seu iPad em simultâneo.

Adaptador iPad TV

Vai necessitar também de um cabo HDMI standard para ligar o adaptador à TV.

É importante perceber que há limitações àquilo que pode ver na TV. Por exemplo, há aplicações que impedem a transferência via HDMI. Por isso, antes de adquirir o adaptador, certifique-se de que as apps que quer utilizar não têm esse tipo de restrições.

Com o iPad ligado à TV vai poder ver diferentes imagens nos dois ecrãs. Há jogos que tiram bom proveito dessa possibilidade, como por exemplo o Real Racing 3, no qual pode ver a corrida na TV e as informações adicionais do jogo no iPad.

Alertamos também que, para desfrutar de todas as funcionalidades que o adaptador lhe proporciona, deverá ter um iPad2 ou um iPhone 4S (ou superior).

Passo 1

Ligue o adaptador à base de ligação do iPad.

Passo 2

Ligue o cabo HDMI à TV e ao adaptador.

Passo 3

Utilize o comando da TV para selecionar a porta HDMI.

Passo 4

Ligue o iPad, desbloqueie o ecrã, abra a aplicação de fotografias e escolha uma foto. Deverá ver a foto selecionada em ambos os ecrãs (iPad e TV).

Passo 5

Poderá ter que ajustar as definições da TV para que a imagem seja exibida correctamente. É frequente que o zoom automático, para evitar que a imagem tenha margens, ajuste-a ao ecrã, distorcendo-a ou cortando partes da mesma.

Passo 6

Abra a app que pretende usar. A maior parte das apps Apple suporta a saída HDMI, mas alguns serviços de streaming de vídeo e TV não.

Depois, é só desfrutar e divertir-se.

Em caso de dúvidas sobre este ou outros assuntos relacionados com o seu iPad, contacte o serviço de assistência técnica da MisterPC.

Como configurar o controlo parental no Android

É já frequente vermos crianças pequenas, que ainda não andam na escola, a manusearem tablets.

Mesmo que a utilização destes dispositivos se resuma a jogos ou outras aplicações próprias para as suas idades, ao utilizarem um tablet, um smartphone ou um PC, as crianças estão expostas aos mais variados perigos que podem surgir através da internet.

Neste artigo apresentamos-lhe uma sugestão para configuração do controlo parental em dispositivos com sistema operativo Android. No entanto, convém alertar que, se não se sente confortável a lidar com as configurações do seu tablet, deve confiar essa tarefa a um profissional especializado.

Perfis restritos

A funcionalidade dos perfis restritos, presente na versão 4.3, vem acrescentar uma nova dimensão de segurança às características das versões anteriores.  De facto, é possível configurar múltiplas contas de utilizador, permitindo-lhe transformar o seu tablet num computador familiar, com ambientes únicos para cada membro da família.

No Android 4.3, o administrador pode controlar as permissões de cada perfil de utilizador, permitindo manter as crianças afastadas do perigo.

Antes de começar a utilizar esta funcionalidade, deve certificar-se que o seu dispositivo é compatível com o Android 4.3. Em caso de dúvida recomendamos que consulte um serviço de assistência especializado.

Passo 1

No ecrã inicial do Android, deslize o dedo a partir do canto superior direito e selecione “Definições”. Faça scroll até encontrar “Utilizadores”. Poderá criar um perfil normal ou um perfil restrito. Selecione essa opção.

Controlo parental em tablets

Controlo parental em tablets

Passo 2

Se ainda não tiver definido, vai-lhe ser solicitado que configure um método de bloqueio de ecrã: padrão, PIN ou password. Escolha o seu método preferido e siga as instruções que vão surgindo no ecrã.

Controlo parental em tablets

Passo 3

Clique no ícone de Definições junto a “Novo perfil” para lhe atribuir um nome.

Controlo parental em tablets

Passo 4

Verá agora uma lista das apps instaladas no seu tablet, com botões de on/off ao lado. Por defeito, o perfil restrito não permite o acesso a nenhuma delas. Movimente-se pela lista e mude para ON apenas aquelas que não apresentem qualquer perigo para as suas crianças. A lista inclui os browsers instalados no dispositivo. A nossa recomendação é para manter estas aplicações em OFF.

Outra boa ideia será permitir que as aplicações usem a informação de localização. Deverá activar esta opção que, por defeito, está desactivada.

Controlo parental em tablets

 

Passo 5

A partir do ecrã de bloqueio irá constatar que a sua conta está protegida com um padrão, uma password ou um PIN (definidos no passo 2), enquanto os seus filhos poderão aceder às suas contas de imediato, mas apenas às aplicações permitidas por si. Apesar do ícone da Google Play Store estar visível, ao tentar aceder-lhe o tablet exibe uma mensagem informando que o acesso não é permitido.

Controlo parental em tablets

Outras dicas

Os jovens e os menos jovens são fascinados por jogos. A sua ânsia de experimentar novas apps deste tipo, ou outras, pode levar a que, de forma mais ou menos inadvertida, sejam feitos downloads da Google Play Store de aplicações pagas.

Para evitar estas surpresas desagradáveis na sua conta bancária poderá, nas Definições da Play Store, activar a opção “Password” que vai exigir a introdução da password da sua conta Google sempre que alguém tentar efectuar um download pago.

Controlo parental em tablets

No mesmo menu existe uma opção que permite filtrar o conteúdo exibido.

Controlo parental em tablets

Para além destes conselhos, poderá recorrer a aplicações, várias delas gratuitas, que existem na Google Play Store, destinadas a funções de controlo parental.

Como dissemos acima, em caso de dúvida, consulte ajuda profissional.

Alerta: ataque informático para breve

As autoridades britânicas lançaram esta semana um alerta para um poderoso ataque informático, baseado em dois softwares maliciosos, o GOZeuS e o CryptoLocker, que infectam os computadores através de links ou anexos em mensagens de correio electrónico. Dias antes, já as autoridades dos EUA tinham lançado um alerta semelhante, atribuindo o ataque a um hacker russo.

Alerta de vírus

Quer os emails quer os anexos, segundo os especialistas, terão um aspecto inofensivo.

A  Agência Nacional Britânica contra o Crime sugere a todos os utilizadores que actualizem os seus softwares antivírus, façam correr os programas de diagnóstico e realizem backups dos ficheiros armazenados no disco rígido.

O GOZeuS monitoriza, de forma imperceptível, toda a actividade do computador infectado, com o objectivo de aceder a contas bancárias e outra informação relevante. Por sua vez, conforme já referimos no Blog MisterPC, o CryptoLocker bloqueia o acesso a determinados ficheiros, exigindo o pagamento de um resgate para os disponibilizar de novo ao utilizador.

Na eminência deste previsível ataque, a MisterPC recomenda:

- actualize o seu software antivírus

- opte por uma solução antivírus paga

- em caso de dúvida, recorra a um centro de assistência técnica especializada para um diagnóstico ao seu computador

 

Alerta: ataques a dispositivos Apple

A Kaspersky Lab lançou recentemente um alerta para ataques de ransomware a dispositivos iPhone e iPad. Os ataques têm ocorrido sobretudo na Austrália, Reino Unido e Rússia e exibem uma mensagem dizendo que o aparelho foi hackeado e exigindo o pagamento de 100 dólares para o desbloqueamento do mesmo.

iphone ransomware

Os especialistas calculam que os criminosos tiveram acesso às credenciais de identificação da Apple, usando emails de phishing.

Com estes dados os hackers podem activar o serviço “Find My Phone” que, para além de poder localizar um aparelho perdido ou roubado, permite definir uma password impedindo o acesso de terceiros a dados pessoais armazenados no iPhone.

Este tipo de esquema, do qual já tínhamos falado anteriormente no Blog MisterPC, só era conhecido em PCs e, mais recentemente, no sistema operativo Android. No entanto, os cibercriminosos estão a refinar os seus métodos de ataque e chegam a outros dispositivos.

Se tem iPhone ou iPad, veja as dicas que a Kaspersky tem para evitar estes ataques:

- Ao criar o seu Apple ID use dois endereços de e-mail. Use um nome para o Apple ID, diferente do seu endereço de email.

- Crie perguntas e respostas secretas de recuperação do seu ID. Defina uma password ou um PIN para o bloqueio de ecrã.

- Escolha uma password longa e que misture símbolos, números, letras maiúsculas e minúsculas. Não utilize a mesma password para outros serviços online.

- Não insira as suas credenciais Apple ID noutros sites que não da própria Apple.

Se, entretanto, for vítima de um ataque:

- Em primeiro lugar, não pague o resgate. Isso só vai fazer com que seja alvo de mais ataques.

- Use o iForgot, um serviço oficial da Apple, que o ajuda a remover a password definida pelos hackers, enviando-lhe uma nova.

- Contacte o suporte da Apple: terá toda a ajuda necessária para recuperar o acesso ao seu dispositivo.

Para a resolução deste e outros problemas no seu iPhone ou iPad, consulte o serviço de reparação da MisterPC.

Visit Us On Facebook