Archive for May 28, 2014

Computador lento: tempo perdido

Alguma vez fez as contas ao tempo que perde devido à lentidão do seu computador? O site britânico Huffpost Tech fez esse estudo e revelou algumas conclusões interessantes: enquanto aguardamos que as nossas máquinas executem processos, podemos perder até cinco dias e meio, por ano!

Computador lento

Para além dessa perda de tempo, o estudo conclui que 30% dos utilizadores ficam de mau humor, por causa da lentidão; 17% chegam a tomar medidas violentas contras os seus aparelhos, como atirá-los contra a parede ou “espancá-los”.

A esse tempo de espera os especialistas chamam “tempo de inactividade digital” e encontra-se entre as sete experiências mais frustrantes do dia-a-dia dos britânicos, para além de outros fenómenos como a espera em transportes públicos ou restaurantes.

Se se identifica com o conteúdo deste estudo, se o seu computador também o leva ao desespero, mas dispõe de pouco dinheiro para investir numa máquina nova, saiba que existem outras soluções.

Num centro de assistência técnica informática, poderá efectuar um upgrade ao seu PC e dar-lhe uma nova vida.

Pode também optar pela compra de um equipamento recondicionado pelo fabricante. Anteriormente, o Blog MisterPC publicou um artigo sobre este tipo de equipamentos e as suas vantagens: http://blog.misterpc.pt/vantagens-dos-computadores-recondicionados/

Para saber qual a melhor opção para si, leve o seu computador actual a um ponto de venda MisterPC. Através de um diagnóstico completamente gratuito, os técnicos apresentar-lhe-ão a solução mais adequada às suas necessidades e ao seu orçamento.

Seis factores que prejudicam a sua rede Wi-Fi

Se sente que a sua rede Wi-Fi está lenta, não comece já a culpar o seu fornecedor de Internet, nem tão pouco o equipamento.

Wi-fi lento

A empresa Epitiro, especialista na análise a redes, concluiu num estudo recente que os consumidores perdem, em média, 30% da largura de banda disponibilizada pelos seus aparelhos, quando trabalham como uma ligação sem fios.

Mas porquê esta perda de velocidade?

1 – Inimigo número 1: os Wi-Fi da vizinhança

Os especialistas calculam que as maiores fontes de interferência para a maioria das pessoas sejam as redes Wi-Fi dos vizinhos. A maior parte dos aparelhos Wi-Fi operam na frequência 2.4GHz que, na prática, é uma “autoestrada muito congestionada”.

Se usa um router na frequência de 2.4 GHz (ou seja, qualquer router Wi-Fi no padrão “b” ou “n”) numa área densamente povoada, as redes dos vizinhos podem interferir com a sua, prejudicando o desempenho e limitando seu alcance.

A solução será adquirir um router que opere nos padrões 802.11g (2.4 GHz) e 802.11n (5 GHz). A frequência de 2.4 GHz será necessária para suportar aparelhos Wi-Fi mais antigos, enquanto a de 5 GHz é uma “autoestrada nova da qual ninguém ainda ouviu falar”.

Alguns dispositivos Wi-Fi, incluindo tablets, o iPad, as smart tvs, consolas e portáteis, possuem tecnologia dual-band. Ou seja, funcionam na frequência 5GHz, aproveitando a tal “autoestrada vazia”.

É importante comprar um router que suporte as duas frequências em simultâneo. Alguns aparelhos “dual-band” mais antigos só permitem uma frequência de cada vez, o que será um problema se tiver equipamentos mais antigos em casa, já que para usá-los terá que configurar o router em 2.4 GHz, não beneficiando dos 5 GHz.

2 – Eletrodomésticos

Mircroondas, telefones sem fios, rádios, sistemas de vigilância de bebés, podem estar a “sabotar” o seu Wi-Fi.

Mais uma vez, coloca-se a questão dos 2.4GHz. Vários desses produtos operam nessa frequência.

A solução para contornar esta dificuldade será, no momento da compra, verificar a frequência e adquirir um aparelho que não funcione a 2.4GHz.

3 – Bluetooth

Este é um problema que tende a desaparecer, dado que nos últimos anos os fabricantes de dispositivos Wi-Fi e Bluetooth adoptaram técnicas para minimizar a interferência entre ambos.

4 – Seres humanos

É um fenómeno com pouca relevância, mas que testes em laboratório comprovaram: o facto de o nosso corpo ser constituído maioritariamente por água tem interferência no desempenho das redes Wi-fi.

5 – Segurança

Nalguns routers mais baratos, definições de segurança mais fortes poderão afectar, de forma moderada, o desempenho.

No entanto, mesmo que sinta perdas de performance do seu equipamento, recomendamos que não abdique da segurança. Em caso algum desligue a criptografia.

6 – Firmware

À semelhança de outros dispositivos electrónicos, também o router necessita de ter o seu firmware actualizado com regularidade. Ao fazê-lo vai notar melhorias de desempenho. Por outro lado, essas actualizações são oportunidades aproveitadas pelos fabricantes para corrigir bugs, falhas de segurança, etc.

Mesmo quando compra um router novo convém verificar se há versões mais recentes do firmware disponíveis. Podem ter passado meses desde que o aparelho foi fabricado, até ao momento em que o compra.

Em caso de dúvida sobre a configuração da sua rede Wi-fi, consulte um serviço de assistência especializado e garanta uma correcta parametrização dos dos seus dispositivos.

Principais Problemas dos Tablets

Os tablets são dispositivos úteis, práticos e têm um peso cada vez maior no dia-a-dia de milhões de pessoas em todo o Mundo. Contudo, como qualquer dispositivo electrónico são passíveis de avariar. Umas vezes pelo uso, outras por descuido do utilizador.

Reparação tablets

Saiba quais as avarias mais comuns nos tablets e como as mesmas podem ser resolvidas num serviço de assistência especializado:

1 – Ecrã partido

Reparação de tablets

Provavelmente, a avaria mais frequente nestes aparelhos. E porquê? São pequenos, leves e finos, logo, levamo-los para todo o lado, o que aumenta o risco de quedas, embates, pisadelas…

Quando dizemos “ecrã partido” podemos estar a falar numa simples rachadela no vidro exterior, ou em danos profundos no LCD.

Esta avaria é resolvida procedendo-se à substituição deste(s) componente(s).

 

2 – Bateria.

Bateria vazia

Com o tempo, como acontece com outros dispositivos electrónicos, a bateria do seu tablet irá perder capacidade. Poderá ser necessário substituí-la se:

a)      Verificar que as carga da bateria duram pouco tempo

b)      O tablet nem sequer recarrega

c)       O tablet não liga

d)      Obtiver mensagens de erro

Perante estes sintomas, os técnicos analisam cuidadosamente a entrada da alimentação, o botão de ligar/desligar e a bateria, de modo a averiguar se será necessário algum tipo de reparação no tablet ou se a substituição da bateria será a solução para o problema.

3 – Entrada de alimentação

Reparação tablets

Se os sintomas relacionados com energia, não forem solucionados pela substituição da bateria, então o mais provável é que a avaria esteja localizada na entrada de alimentação. Nestes casos, aos sinais descritos no ponto anterior, poderá juntar-se o facto de o tablet não ser reconhecido quando ligado a um computador ou outro dispositivo.

Este tipo de avaria é muitas vezes provocado por quedas, ou pela intrusão de objectos no conector de energia.

A solução passa por fixar o conector ou substitui-lo.

4 – Wi-Fi e 3G

Reparação Wi-Fi

Outro problema comum é a dificuldade em captar sinal wi-fi, mesmo estando perto de um router. Problemas semelhantes ocorrem em tablets com 3G, como o iPad ou o Galaxy Tab.

Estas avarias normalmente surgem, porque na sequência de quedas ou embates, os componentes wi-fi ficaram soltos ou danificados.

Os técnicos da MisterPC estão preparados para responder a estes e a outros problemas no seu tablet. Para mais informações, contacte-nos.

 

 

10 dicas para fazer o seu iPhone durar… anos!

Comprar um iPhone é um investimento relativamente caro. Mas, são tantos os atractivos deste pequeno dispositivo da Apple, que é quase impossível resistir-lhe.

Iphone

Por ser um investimento significativo, convém preservá-lo para que possa usufruir do mesmo durante um longo período de tempo.

O Blog MisterPC apresenta-lhe 10 dicas que o vão ajudar a manter o seu iPhone durante… anos!

1 – Proteja-o! Compre uma capa e uma película para o ecrã.

Grande parte dos utilizadores adquire uma capa por motivos estéticos. Contudo, as capas têm uma função muito mais importante: proteger o iPhone em caso de queda e do próprio desgaste provocado pelo contacto com as mãos. De facto, o suor oxida as peças metálicas do aparelho, deteriorando-as.

Por outro lado, a película protege o ecrã táctil do iPhone de riscos inerentes ao manuseamento.

A película serve também como protector contra o calor externo, um factor que afecta os ecrãs tácteis.

2 – Se o vidro partiu… tente trocá-lo.

O iPhone caiu e o ecrã partiu? Calma, não precisa entrar em pânico. Na grande maioria dos casos é possível trocar o visor do seu iPhone. Recorra a um serviço de assistência especializado e peça um orçamento. Verá que compensa a substituição do ecrã, a ter que adquirir um equipamento novo.

3 – Cuide da bateria e evite o sobreaquecimento

Se sente o iPhone aquecer demasiado e a bateria durar pouco tempo, sugerimos que o desligue durante a noite, enquanto não o usa. Longos períodos de utilização fazem com que o aparelho aqueça, diminuindo a durabilidade dos seus componentes, nomeadamente a bateria.

Para mais dicas sobre como poupar a bateria do seu iPhone, recomendamos a leitura deste artigo do Blog MisterPC: http://blog.misterpc.pt/como-prolongar-a-duracao-da-bateria-do-ipadiphone/

4 – Use o modo de “Desbloqueio por código” e active o Find My iPhone

Para se prevenir contra eventuais roubos, ou perda do seu dispositivo, opte pelo modo de desbloqueio por código. Esta medida não impede, na totalidade, a possibilidade de desconhecidos acederem ao conteúdo do iPhone, no entanto, torna esse acesso bem mais complicado. Se o código não for inserido correctamente em 10 tentativas, o aparelho pode apagar os seus dados, mantendo a informação em sigilo

A app Find My iPhone é funciona via GPS e ajuda-o a procurar o seu smartphone, caso ele tenha sido perdido ou roubado.

5 – Sincronize frequentemente o iPhone com o iTunes

A sincronização ajuda a manter o software actualizado, gerir os ficheiros armazenados no seu interior e permite-lhe fazer um restauro, caso não esteja a funcionar correctamente.

6 – Instale versões novas do iOS

Um sistema operativo novo significa menor consumo de bateria, optimização das aplicações e uma performance melhorada.

É um processo rápido e que  acaba por garantir longevidade ao aparelho.

7 – Actualize as aplicações

Aplica-se a mesma lógica do ponto anterior: aplicações actualizadas reduzem o consumo da bateria e ajudam a manter o iPhone mais seguro.

8 – Substitua os acessórios

Se notar desgaste no cabo de alimentação ou nos phones, substitua-os, assim como a película de protecção de ecrã e a capa.

9 – Evite o calor

O porta-luvas do carro, locais com muita iluminação ou demasiado quentes podem comprometer a saúde dos componentes do iPhone. Guarde o seu smartphone em locais bem arejados e de temperatura amena.

10 – Água e iPhone não combinam

Conforme explicamos detalhadamente no artigo http://blog.misterpc.pt/iphones-e-humidade/ a água e a humidade podem ser bastante prejudiciais ao seu iPhone. Tenha cuidado quando anda à chuva e evite deixá-lo esquecido num bolso, correndo o risco de ir parar à máquina de lavar. Recordamos que a garantia não cobre avarias relacionadas com a água.

 

Conclusão:

Cuidados básicos, gestos simples aumentam as probabilidades de o seu iPhone durar mais.

No entanto, mesmo com todos os cuidados, as avarias e os acidentes podem acontecer. Nesses casos, antes de decidir atirar o iPhone para o lixo, tente salvá-lo. Muitos utilizadores pensam que as avarias são irreparáveis ou que implicam reparações de tal modo dispendiosas, que mais vale adquirir um aparelho novo. Contudo, uma reparação será (quase) sempre inferior ao preço de aquisição de um iPhone novo.

Informe-se junto de um reparador especializado. A MisterPC realiza reparações em iPhone e também iPad e iPhone. Saiba mais.

Dicas da Kaspersky para transacções seguras na Internet

Nos nossos dias é praticamente impossível fugir às transacções online.

Seja na realização de  uma compra num site de comércio electrónico ou através do relacionamento com o nosso banco através do home banking.

Home banking

Assim sendo as movimentações de dinheiro via Internet são cada vez mais comuns no nosso dia-a-dia.

Apesar da rapidez e comodidade que representam as mesmas causam  muitas reticências a um grande número de cibernautas, dados os problemas de segurança que as mesmas levantam.

A Kaspersky, uma das mais importantes empresas de segurança informática a nível mundial, apresenta importantes dicas para realizar transferir dinheiro de forma segura:

1 – Actualize o Sistema Operativo e o Browser

Antes de começar, certifique-se que o seu dispositivo de acesso (PC, tablet ou smartphone) está protegido.

Verifique se o sistema operativo está actualizado com os mais recentes updates, assim como o browser que irá utilizar para a transacção.

No caso dos dispositivos móveis, é provável que a operação seja realizada através de uma aplicação. Nesse caso, assegure-se de que a mesma está também actualizada.

Mantenha também as restantes aplicações actualizadas, dado que as mesmas poderão funcionar como portas de entrada para os hackers.

2 – Actualize o antivírus

Se nem sequer tem antivírus instalado no seu equipamento (seja um PC, ou um dispositivo móvel), então saiba que está a arriscar bastante a segurança dos seus dados confidenciais e das suas contas bancárias.

Se tem antivírus, então saiba que, para uma prevenção mais eficaz, deve mantê-lo actualizado.

Muitos utilizadores com boas soluções antivírus ficam surpreendidos por serem infectados, esquecendo-se que as actualizações são fundamentais para combater as novas ameaças que todos os dias surgem na Internet.

3 – Nunca realize operações bancárias em computadores partilhados

O PC lá do escritório, computadores públicos, computadores de amigos ou computadores partilhados são de evitar.

4 – Certifique-se que as páginas da Internet onde realiza a operação são, também elas, seguras

Evite serviços de transferência de dinheiro que não conhece. Se não sabe distinguir os fiáveis dos menos fiáveis, saiba que com PayPal, MoneyGram, Western Union ou Vemmo, estará  à partida seguro.

Outra forma de “medir” a segurança do site onde se encontra é olhando para a barra de endereços e verificar se lá aparece um pequeno aloquete, ou cadeado, e o protocolo “HTTPS” em vez do habitual “http”. Estes sinais indicam-lhe que a transmissão dos dados está a ser feita de forma encriptada.

5 – Olhe mais uma vez para a página

A existência de anúncios publicitários suspeitos, pode significar a existência de Adware, um tipo de software malicioso que, através dos anúncios, analisa os seus hábitos de navegação, enviando essas informações para um hacker.

Por outro lado, há hackers que criam cópias quase perfeitas das páginas legítimas, com o objectivo de ludibriar os utilizadores mais distraídos e capturar-lhe os dados de login. Esta situação é muito frequente com páginas de bancos. Neste sentido, é muito importante ter atenção ao URL e verificar se é de facto o domínio do seu banco.

6 – Cuidado com as passwords

Muitas instituições já obrigam os utilizadores a respeitarem determinadas regras de segurança na definição das suas passwords.

Se tal não acontecer, tenha o cuidado de escolher uma palavra-chave longa, que combine maiúsculas com minúsculas, letras com números e se possível  símbolos e espaços.

7 – Active um sistema de dupla verificação

Ou seja, confirmar a operação realizada através de um código enviado por SMS, cartão matriz ou outro meio alternativo. Esta é uma eficaz barreira contra intrusos, dado que, se receber um SMS com um código de verificação sem que tenha feito nada para o obter, é sinal que alguém tem os seus dados de acesso e está a tentar entrar na sua conta.

A Kaspersky recomenda ainda que adopte um sistema específico de protecção de transacções online, como o ”Verified By-Visa” ou o “3D Secure”.

A Kaspersky é parceira da MisterPC. Saiba como pode adquirir as suas soluções antivírus, clicando aqui.

Polícia Judiciária recomenda antivírus eficientes

Na sequência de um ataque aos computadores de uma empresa de Famalicão, um investigador da Polícia Judiciária, especializado no combate a crimes informáticos, alertou para a importância das empresas e particulares utilizarem nos seus computadores antivírus eficazes.

bitcoin

O “pirata” de Famalicão encriptou os ficheiros da empresa e exigiu 500 euros em dinheiro virtual (bitcoins) para disponibilizar novamente esses ficheiros.

Em declarações à Agência Lusa, o investigador da PJ afirmou: “São fundamentais bons antivírus, alertar os funcionários para terem muito cuidado ao abrirem e-mails com ficheiros executáveis e atenção às redes sociais, nomeadamente ao Facebook.”

Ainda a propósito do caso de Famalicão o investigador referiu que a origem do ataque terá estado na abertura de um ficheiro com vírus, algo que poderia ter sido evitado caso houvesse uma boa solução antivírus instalada.

As declarações deste investigador são mais um importante contributo na sensibilização dos utilizadores de informática para a importância de optarem por antivírus pagos, mais eficazes e seguros.

Recordamos que, anteriormente, já o Blog MisterPC já tinha publicado um artigo sobre este tema. No entanto, nunca é demais relembrar, dada relevância das questões ligadas à segurança informática. Na verdade, está comprovado que os antivírus pagos são a melhor forma de incrementar a segurança dos equipamentos.

Para mais informações sobre como obter e instalar um antivírus eficaz para o seu computador, consulte um serviço de assistência técnica informática especializado.

Como prolongar a duração da bateria do iPad/iPhone

Como acontece com qualquer outro dispositivo (smartphone, tablet ou pc portátil) a duração da bateria do seu iPad será mais curta, quanto mais intensiva for a sua utilização.

Contudo, há alguns cuidados que pode ter e que o ajudarão a desfrutar da autonomia do iPad/iPhone durante mais horas. No fundo, trata-se de desligar funcionalidades que não esteja a utilizar e que consomem bastante carga da bateria:

1 – Desligue o Wi-Fi e o 3G, sempre que não necessitar dos mesmos.

Quando está ligado, o Wi-Fi do seu iPad/iPhone está permanentemente à procura de uma ligação disponível, mesmo que não haja nenhuma nas redondezas. Este facto é responsável por um elevado consumo da carga da bateria.

iPad/iPhone Wi-Fi

2 – Desligue a obtenção de novos dados.

O seu iPad/iPhone pode estar configurado para, periodicamente (15 em 15 minutos, 30 em 30, ou hora a hora) obter novos dados da Internet, nomeadamente notificações de e-mail e feeds RSS.

Essa “busca” reduz a autonomia da bateria. Por isso, é recomendável que mude a configuração da obtenção de dados para “Manual”, ou seja, o iPad/iPhone vai procurar novas actualizações apenas quando lhe pedir para o fazer.

ipad/iphone - dados

No mesmo sentido desta recomendação é também aconselhável desactivar as notificações por “Push”.

3 – Diminua o brilho do ecrã

Quanto mais brilho, menos bateria. Diminua o brilho do ecrã até um nível confortável para os seus olhos: 25 a 30% deverá ser suficiente para o uso durante o dia e, para a maioria das pessoas, também para a noite.

iPad/iPhone - Brilho ecrã

4 – Desligue os serviços de localização

Mesmo que não esteja a utilizar nenhuma aplicação que necessite destes serviços (mapas, GPS, etc.) o facto de os ter permanentemente ligados contribui para uma vida mais curta da bateria. Por isso, active-os ou desactive-os conforme as suas necessidades.

iphone/ipad - GPS

5 – Evite o uso frequente de apps com gráficos pesados ou 3D.

Se tem dúvidas, faça o seguinte teste:

- Antes de jogar um jogo com gráficos 3D, verifique o nível da bateria. Jogue durante alguns minutos e verifique novamente a carga da bateria.

Em alguns casos, 5 minutos são suficientes para perder 20% de carga.

6 – Se tem um iPad com 3G, utilize o Modo Avião.

O modo avião desliga todos os sinais wireless. Se está numa zona em que o sinal 3G é fraco, o consumo da bateria será maior, pois o esforço para o dispositivo captar o 3G será também maior. Portanto, se não utiliza, desligue.

ipad/iphone - modo avião

7 – Cuidado com a temperatura

A bateria do iPad é facilmente influenciável por situações de temperatura extremas. Procure sempre um ambiente entre os 0 e os 35 graus centígrados.

Tenha também cuidado com o uso de bolsas protectoras. Algumas poderão impedir o dispositivo de ser correctamente ventilado, fazendo com que o aumento de temperatura danifique a bateria.

8 – Mantenha o software sempre actualizado

Entre as actualizações que a Apple liberta regularmente encontram-se, por vezes, funcionalidades de optimização da performance da bateria.

9 – Active a funcionalidade de bloqueio automático

Com esta funcionalidade activa, o ecrã do seu iPad/iPhone irá desligar-se após um determinado período sem utilização.

ipad/iphone - bloqueio

10 – Outros conselhos

- Muitos utilizadores acham que uma boa forma de poupar bateria será desligar totalmente o aparelho quando ele não estiver a ser usado. Isso não corresponde à verdade, dado que o iPad consome bastante energia ao ser ligado/desligado.

Desligue apenas as funcionalidades que não são úteis e use e abuse do modo de vôo.

- Carregue sempre o iPad antes de sair de casa, nomeadamente, antes de longas viagens. Leve sempre consigo o carregador.

- Uma vez por mês calibre a bateria, ou seja, deixe-a chegar totalmente ao fim e de seguida carregue-a a 100%.

- Ambientes quentes prejudicam o carregamento da bateria. As elevadas temperaturas reduzem o tempo de carga aceite pelas baterias, diminuindo o nível com que as mesmas são carregadas. Procure fazer o carregamento do seu iPad num local fresco e arejado.

- Se, mesmo seguindo estes conselhos, acha que a bateria do seu iPad não tem autonomia suficiente, a mesma poderá ter de ser substituída. Nesse caso, recorra a um serviço de assistência especializado e confie o seu dispositivo a técnicos qualificados.

Falha de Segurança no Internet Explorer / Windows XP

Recentemente, a Microsoft lançou um aviso que alerta todos os internautas para uma falha de segurança no browser Internet Explorer, que afecta todas as versões desde 2001, ou seja, as versões 6 a 11.

Internet Explorer

A falha detectada permite aos hackers executarem tarefas nos computadores dos utilizadores, com todos os perigos que isso acarreta: acesso a dados pessoais, contas bancárias, etc.. Para o ataque ser bem sucedido, o utilizador deve visitar um site criado para o efeito pelos hackers, site esse que explora a referida falha do Internet Explorer.

Empresas especialistas em segurança informática já detectaram vários ataques a utilizadores das versões 9 a 11.

Se faz parte dos 56% de Internautas que diariamente utiliza o Internet Explorer, saiba que a Microsoft já está a preparar actualizações de segurança para corrigir esta falha. No entanto, se ainda detém o sistema operativo Windows XP, não será alvo dessa actualização, dado o fim do suporte ao mesmo, desde o passado dia 8 de Abril.

Neste sentido, recomendamos que faça já a actualização para um sistema operativo mais recente e seguro.

Visit Us On Facebook